Mapas do Egito

Mapas do Egito - 04
 Apresentamos nestas novas páginas de MAPAS DO EGITO uma gama de estudos para você entender e se localizar melhor neste país que remonta uma história desde 3800 a.C. - tudo visto de cima!

CANAL DE SUEZ

O Canal de Suez é uma das vias marítimas mais importantes do mundo e um dos grandes focos da economia do Egito. 

É o eixo de união entre o Oriente e Ocidente (tem 163 Km de extensão e 70 metros de largura).  Aqui temos uma situação interessante: de um lado está o continente asiático, do outro o africano.

Este canal, construído a partir de 1859, possibilitou a ligação entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho. Foram 10 anos de obras, utilizando 1,5 milhão de trabalhadores.

Os navios que usam essa rota pagam altas taxas de pedágio.

Os romanos já utilizavam a região para passagem de pequenas embarcações.  Era chamado de "Canal dos Faraós".


Apresentamos diversas visões do Canal para que você possa se familiarizar.

Aí vão mais alguns dados importantes sobre o Canal de
Suez:

- é o mais longo canal do mundo, com 163 quilômetros
de extensão (70 m de largura)
. Sua travessia dura cerca de 15 horas a uma velocidade de 14 km/h;
- possui três lagos em seu percurso. Não há eclusas;
- a sua largura mínima é de 55 metros;
- comporta navios de até 500 metros de comprimento;
- o valor médio das taxas pagas por petroleiros é de
US$ 70 mil;
- entre 1996 e 1997, o Egito arrecadou, apenas com o
pedágio, US$ 1,8 bilhão.
 

Possibilita a muitos países europeus, como vemos acima, uma via de acesso direta com a Ásia.

Caso contrário, tem-se que dar a volta pelo sul do continente africano, dobrar o Cabo da Boa Esperança, e tornar a subir para chegar aos países asiáticos (através do Oceano Índico). 

Veja o exemplo acima, um navio saindo de Londres para ir a Mumbai (Índia).  Pelo Canal de Suez a distância é de 11.600 km.  A rota alternativa é de 19.800 km.

Todos os tipos de navios passam pelo Canal, principalmente militares, petroleiros e de carga.

 

Em 1888, a Convenção de Constantinopla (atual Istambul-Turquia) definiu que o Canal de Suez deveria servir a embarcações de todos os países mesmo em tempos de guerra.

Inglaterra e Egito assinaram, em 1936, um acordo que assegurava a presença militar do Reino Unido na região do canal por um período de 20 anos.

Com a retirada das tropas inglesas, em 1956, o presidente egípcio Gamal Nasser iniciou um conflito ao nacionalizar o canal e impedir a passagem de navios com a bandeira de Israel. Neste mesmo ano, com o auxílio do Reino Unido e da França, o exército israelense invadiu o Egito. Derrotado, mas contando com o apoio da ONU, dos EUA e da União Soviética, o Egito garantiu o controle sobre o canal. O preço do apoio foi a abertura do canal para a navegação internacional.   

     Em 1967, com a Guerra dos Seis Dias (conflito entre Israel e a frente árabe, formada por Egito, Jordânia e Síria), a passagem é novamente fechada.

A partir de 1975 o Canal de Suez é reaberto para todas as nações do mundo.

 

Existe hoje, um túnel rodoviário que passa por baixo do Canal de Suez.

Quando entra-se neste túnel, os veículos descem 70 metros abaixo do nível.

Abaixo a entrada deste túnel.

Vista do satélite da Nasa do Canal de Suez.
 

Mapas do Egito (veja também...)

O Egito Luxor - A Cidade dos Monumentos Pirâmides Canal de Suez
Rio Nilo Templo de Ísis (Philae) Alexandria Cairo
   
Abu Simbel Sharm el Sheikh    


Jorge Sabongi

   Retornar ao site Khan el Khalili