Mapas do Egito

Mapas do Egito - 05
 Apresentamos nestas novas páginas de MAPAS DO EGITO uma gama de estudos para você entender e se localizar melhor neste país que remonta uma história desde 3800 a.C. - tudo visto de cima!

 

RIO NILO

O Rio Nilo é um dos maiores do mundo.  Sua bacia hidrográfica ocupa uma área de 3.349.000 km² abrangendo nove países africanos: Uganda, Tanzânia, Ruanda, Quênia, República Democrática do Congo, Burundi, Sudão, Etiópia e Egito.  Tradicionalmente, consideram sua nascente no Lago Vitória.

A palavra Nilo é oriunda do latim Nilus que deriva do grego Neilos.  Os antigos egípcios chamavam o rio Nilo de "Aur" ou "Ar", que significa “negro”.
 

 Atualmente, o rio assume uma grande importância, principalmente no Egito. É usado como via de transporte, sistemas de irrigação da agricultura e também para gerar energia elétrica, através da usina hidrelétrica de Aswan.
 
A partir da sua fonte mais remota, no Burundi, o Nilo apresenta um comprimento de 6.627,15 km.  Muitos geógrafos deixaram de o considerar como o maior rio do mundo, perdendo o posto para o rio Amazonas, com cerca de 6.992,06 km de extensão.
 
 Segundo Heródoto (historiador grego), "O Egito é uma dádiva do Nilo", sem o Nilo e a cheia, o Egito seria apenas a parte oriental do Saara.

O Nilo possui várias cataratas, mas na Antiguidade distinguiam-se seis cataratas clássicas que estavam situadas entre Aswan e Cartum (Sudão) .

A primeira catarata situa-se em Aswan, constituindo hoje em dia a única catarata do Nilo em território egípcio. Esta catarata era na Antiguidade a fronteira sul do Antigo Egito,  pois a partir dali começava a Núbia.

A segunda catarata, perto de Uadi Halfa, encontra-se hoje submersa. O faraó Senuseret III ordenou a construção nas suas redondezas das fortalezas de Semna e Kumma.
 

A imagem acima mostra os passeios no Rio Nilo na região da Núbia (Sul).  Esta foto pode ser ampliada e lhe dará um maravilhoso fundo de página.
 
O Delta do Nilo é uma região plana com um forma triangular, apresentando 160 km de comprimento e 250 km de largura. No Delta o Nilo bifurca-se em dois canais que levam as suas águas para o Mediterrâneo: a oeste, o canal de Roseta, e, a leste, o de Damieta.  Repare como a vida no Egito margeia o Nilo.
 

Vemos acima a região onde inicia o Delta do Nilo (região do Cairo), e como ele se divide em vários canais que vão desaguar no no Mar Mediterrâneo.


No mapa acima, você tem uma idéia do percurso do Rio Nilo por todo o Egito, através de muitos monumentos e sítios arqueológicos.  Existe muito mais do que aparece acima.  Amplie

Desde a época dos antigos Faraós, os egípcios vivem em função do Rio Nilo.  Anualmente acontece a cheia e quando as águas descem, seu solo torna-se um dos mais fertilizados (húmus) do planeta, favorecendo enormemente a agricultura.

A prosperidade do Egito nasce da ação conjunta do Nilo e do Sol, todos os dois elevados pelos habitantes à categoria de deuses. O rio, em cheia das mais fortes do verão, impregna os campos de uma água carregada de aluviões extremamente férteis. O sol apressa a vazante, e o renascimento da vegetação. Uma cheia muito fraca não alimenta bem a terra; muito forte , devasta os campos - tanto uma quando a outra levam à fome: sem a cheia, o sol seria devastador; sem o sol, a cheia seria inútil. O importante é que o equilíbrio seja mantido entre os dois.
Abaixo algumas paisagens do Nilo:

 

Acima a foto do satélite do Delta do Nilo e ao lado o Mar Vermelho (veja também a fina linha do Canal de Suez ampliando a foto).

Apesar da fundamental importância do ciclo do rio para a fertilização dos solos situados nas margens, em 1971 foi construída a represa de Aswan. A partir desse empreendimento o rio alterou o seu regime, o que resultou na perda dos períodos de cheias e vazantes, impedindo o processo natural de fertilização do solo, levando os produtores a fazer uso cada vez maior de insumos agrícolas no cultivo.

Em virtude da grandeza dessa obra arquitetônica, que possui 3.600 metros de comprimento e 115 m de altura, uma enorme quantidade de água foi represada, formando o lago Nasser e inundando grandes riquezas arqueológicas. Algumas dessas riquezas foram salvas por meio de difíceis processos, esculturas e templos foram cortados em centenas de pedaços e retirados do lugar para serem reconstituídos em outro local.

 


Veja que beleza o Rio Nilo na região da Núbia, em Abu Simbel, templo construído por Ramsés II no século XIII a.C. em homenagem a si mesmo e a sua esposa Nefertari.

No entanto, este não é o seu local de construção original; devido à construção da barragem de Aswan, e do consequente aumento do caudal do rio Nilo, o complexo foi transladado do seu local original durante a década de 1960, com a ajuda da UNESCO, a fim de ser salvo de ficar submerso. O Grande templo de Abu Simbel é um dos mais bem conservados de todo o Egito.

 

No mapa acima, temos o percurso do Rio Nilo por todo o Egito detalhadamente.  Amplie para ver melhor.
 

Mapas do Egito (veja também...)

O Egito Luxor - A Cidade dos Monumentos Pirâmides Canal de Suez
Rio Nilo Templo de Ísis (Philae) Alexandria Cairo
   
Abu Simbel Sharm el Sheikh    


Jorge Sabongi

   Retornar ao site Khan el Khalili