CURIOSIDADES


Aspectos curiosos da cultura árabe

CLEÓPATRA

* Cleópatra testava e eficiência de seus venenos dando-os aos escravos. A rainha egípcia (69 - 30 a.C) ocupava vinte damas de companhia na preparação de seus banhos. Ficava até seis horas mergulhada na água extraída de plantas aromáticas.



BEDUÍNOS

* No mundo quente e livre do deserto, existem os BEDUÍNOS:

- são aproximadamente nove milhões em todo o Oriente Médio;
- é um povo nômade, de vida pitoresca e fala metafórica;
- seu senso de honra e hospitalidade é mundialmente célebre;
- prefere morrer a trair seu hóspede ou amigo;
- é amigo do fausto e do suntuoso;
- muitas vezes gasta numa recepção o dobro de seus haveres
e passa anos a pagar suas dívidas;
- anda de pés nus, mas não descobre a cabeça (acha que é decair);
- adora a liberdade, não tem pátria fixa, não tem raízes e vive sempre em movimento;
- sua pátria é todo lote de terra coberto de erva fresca;
- quando a erva murcha, ele coloca seus utensílios sobre um camelo,
sobe em outro camelo e vai, com seu rebanho, procurar novos pastos;
- talvez essa vida lhe dê a juventude eterna e a vitalidade inesgotável que todos os cronistas admiram.

DESERTO DO SAHARA

O Deserto do Sahara é o maior do mundo (área total de 9.065.000 km2).  Área fértil (oásis) apenas 200.000 km2.  Localiza-se ao Norte da África e está presente em 10 países (Mauritânia, Marrocos, Líbia, Egito, Mali, Níger, Argélia, Tunísia, Sudão e Chade).

A área aproximada do Sahara no Egito é de 914.000 km2.

Apresenta desníveis espetaculares onde 1/4 consiste em montanhas.  Alguns trechos situam-se a 134 metros abaixo do nível do mar; outros registram alturas de até 3.300 metros.  Em muitas depressões, o solo compõe-se de salinas.

Embora através destas imagens os desertos possam parecer lugares extremamente agradáveis pelo silêncio, solidão, amplitude de visão e paisagens belíssimas, é bom lembrar que suas temperaturas variam de 0º à noite (isso mesmo, muito frio!) até 50º durante o dia (insuportavelmente quente).  A temperatura record foi registrada na região da Líbia: 58º. 

Por ocupar uma faixa bastante extensa no Norte da África, verifica-se dois tipos de clima na região do Sahara: ao Norte (próximo ao Mar Mediterrâneo) é sub-tropical, e, ao Sul tropical.  Apesar de extremamente seco, em algumas regiões do Norte pode ocorrer anualmente pouquíssima chuva. 

O comprimento de leste a oeste é de 4.800 km e o de Norte a Sul é de 1.200 km.

Aproximadamente 4 milhões de pessoas vivem nas imediações no Sahara, em sua maioria beduínos.  A hospitalidade árabe é conhecida mundialmente; é comum chegar a um povoado beduíno e receber um prato de refeição. Todos compartilham, mas é conveniente conhecer os costumes locais.

O Islamismo foi introduzido no Século VII.  O processo de conversão demorou aproximadamente 400 anos para chegar à todos os povos do deserto; algumas vezes de forma branda através de atividades missionárias, outras por total opressão.

Mas nem todos aqueles que habitam os desertos costumam ser tão amistosos assim.  Além daqueles que têm intenção de saquear, existem também predadores que saem de suas tocas (entre as pedras), durante a noite à procura de alimento: serpentes, aracnídeos, lagartos e muitos insetos. 

A vida animal compreende ainda: gazelas, oryx, gerbils, jerboas, babuínos, hienas, ouriços, chacais, cervídeos, raposas, doninhas. 

Isso torna as noites sombrias e de certa forma bastante perigosas.

Também contam aproximadamente 300 espécies de pássaros.

Pouquíssimas possibilidades de água e ausência quase que total de vegetação predominam.  Os únicos rios que correm pelo Sahara permanentemente são o Níger e o Nilo.

Os camelos são os escolhidos como meio de transporte desde o Século III quando tomaram o lugar dos cavalos.  Podem ficar até 15 dias sem beber água (tomam até 120 litros de água de uma só vez), transportar cargas, oferecer leite e numa necessidade vital, sua carne pode servir como alimento.

Dunas representam apenas 25% do total do Sahara (dunas piramidais podem atingir até 150 metros de altura, enquanto montes de areia alcançam até 350 metros).  O restante são montanhas, rochedos, pedras e oásis.

Outros tipos de vegetação incluem concentrações esparsas de gramas, arbustos e árvores nas montanhas, assim como nos oásis e ao longo do leito dos rios.  A principal árvore encontrada é a tamareira.

Muitos dos oásis repousam em depressões (abaixo do nível do mar), permitindo assim a existência de reservatórios de água (lençóis subterrâneos); assim a vida acontece próxima a estes poços artesianos.

Veja tudo sobre desertos nesta página.

OÁSIS

* Em todos esses desertos florescem verdadeiras ilhas de verdura e de frescor, chamadas "oásis". Alguns têm uma superfície insignificante: uma fonte rodeada por algumas árvores - o indispensável para justificar a esperança daqueles que vagam no deserto.


ORIENTE MÉDIO - LIGA ÁRABE

* A Liga Árabe, nome corrente para a Liga de Estados Árabes é uma organização de Estados árabes fundada em 1945 no Cairo por sete países, com o objetivo de reforçar e coordenar os laços econômicos, sociais, políticos e culturais entre os seus membros, assim como mediar disputas entre estes. Atualmente a Liga Árabe compreende vinte e dois Estados, que possuem no total uma população de 200 milhões de habitantes.

País
 Egito (Egipto)
Iraque
Jordânia
Líbano
Arábia Saudita
 Síria
Iémen (Iêmen)
Líbia
Sudão
 Marrocos
 Tunísia
Kuwait
 Argélia
Emiratos Árabes Unidos
Bahrein
 Qatar
Omã
Mauritânia
Somália
 Palestina
Djibouti
Comores

PIRÂMIDES

* Das sete maravilhas do mundo antigo, as oitenta pirâmides são as únicas sobreviventes. Foram construídas por volta de 2690 a.C., a 10 km do Cairo, capital do Egito. As três mais célebres pirâmides de Gizé ocupam uma área de 129.000 m2. A maior delas (Queóps) foi construída pelo mais rico dos faraós, e empregou cem mil operários durante 20 anos. Se enfileirássemos os blocos de granito das três pirâmides, eles dariam a volta ao mundo.


ESFINGES

* Esfinges são monstros fabulosos com cabeça humana e corpo de leão. A mais conhecida é a esfinge de Gizé, nas proximidades de Mênfis, no Egito, a pouco mais de cem metros das pirâmides e junto à foz do Nilo. Ela é mais antiga que as pirâmides e teria sido construída por Quéfren. Mede 39 metros de comprimento e 17 metros de altura. A esfinge, em grego, personifica um "monstro que estrangula quem não adivinhar os seus enigmas".

EMBALSAMAMENTO

* Os faraós eram embalsamados da seguinte maneira: em primeiro lugar, cérebro, intestinos e outros órgãos vitais eram retirados. Nessas cavidades, colocavam-se resinas aromáticas e perfumes. Depois, os cortes eram fechados. Mergulhava-se então o cadáver num tanque com nitrato de potássio (salitre) para que a umidade do corpo fosse absorvida.


Ele permanecia ali por setenta dias. Após esse período, o corpo era lavado e enrolado numa bandagem de algodão, com centenas de metros, embebida em betume, uma substância pastosa. Só aí o morto ia para a tumba. Esse processo conservava o cadáver praticamente intacto por séculos. A múmia do faraó Ramsés II, que reinou no Egito entre 1304 e 1237 a.C., foi encontrada em 1881 apenas com a pele ressecada. Os cabelos e os dentes continuavam perfeitos.

GÊNIO DA LÂMPADA

No folclore árabe, os gênios são espíritos que tem poderes sobrenaturais e aparecem em diversas formas e tamanhos. Podem ser bons ou maus, dependendo de seu mestre. Vivem em lugares inóspitos, como garrafas vazias.

TAMAREIRA

* A tamareira, árvore egípcia tradicional desde a época dos faraós, demora de 150 a 200 anos para dar seu primeiro fruto. Significa que se você plantar hoje uma tamareira, provavelmente só o seu tataraneto colherá a primeira tâmara.

 

PALAVRAS CRUZADAS

* As palavras cruzadas foram criadas no Egito há 2000 anos; encontradas num fragmento de papiro, remanescente do período Greco-Romano com pistas e enigmas baseadas nos mesmos princípios da moderna palavra cruzada;

ESCARAVELHO

* O escaravelho é o besouro sagrado egípcio. É considerado um símbolo de sorte por nascer entre as fezes do camelo no calor do deserto;


CIÊNCIAS

* A química, a física, a álgebra e a astronomia são de origem árabe;


CANAL DE SUEZ

* O Canal de Suez é uma das vias marítimas mais importantes do mundo e um dos grandes focos da economia do Egito.  É o eixo de união entre o Oriente e Ocidente (tem 163 Km de extensão e 70 metros de largura).  Aqui temos uma situação interessante: de um lado está o continente asiático (isso mesmo, Ásia), do outro lado está a África.

Este canal, construído a partir de 1859 (foram 10 anos de obras, utilizando 1,5 milhão de trabalhadores), possibilitou a ligação entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho. Os navios que usam essa rota têm de atravessar o canal e, claro, pagar altas taxas de "pedágio". 

Caso contrário, tem que dar a volta pelo sul do continente africano, dobrar o Cabo da Boa Esperança (literalmente falando), e tornar a subir para chegar aos países asiáticos (através do Oceano Índico).

Os romanos já utilizavam a região para passagem de pequenas embarcações.  Era chamado de "Canal dos Faraós". 

A idéia deste texto não é se concentrar em fatos históricos, mas é sempre bom dar uma pincelada bem humorada em alguns fatos e, se possível, proporcionar algum conhecimento sobre o Egito.

Assim, muita coisa sobre a história recente do Canal de Suez pode ser compreendida nos três parágrafos abaixo:
 

A disputa pelo canal


    Em 1888, a Convenção de Constantinopla definiu que o Canal de Suez deveria servir a embarcações de todos os países mesmo em tempos de guerra. Inglaterra e Egito assinaram, em 1936, um acordo que assegurava a presença militar do Reino Unido na região do canal por um período de 20 anos.   

    Com a retirada das tropas inglesas, em 1956, o presidente egípcio Gamal Nasser iniciou um conflito ao nacionalizar o canal e impedir a passagem de navios com a bandeira de Israel. Neste mesmo ano, com o auxílio do Reino Unido e da França, o exército israelense invadiu o Egito. Derrotado, mas contando com o apoio da ONU, dos EUA e da União Soviética, o Egito garantiu o controle sobre o canal. O preço do apoio foi a abertura do canal para a navegação internacional.   

     Em 1967, com a Guerra dos Seis Dias (conflito entre Israel e a frente árabe, formada por Egito, Jordânia e Síria), a passagem é novamente fechada. A partir de 1975 o Canal de Suez é reaberto para todas as nações do mundo..

Aí vão mais alguns dados importantes sobre o Canal de
Suez:

- é o mais longo canal do mundo, com 163 quilômetros
de extensão
. Sua travessia dura cerca de 15 horas a uma velocidade de 14 km/h;
- possui três lagos em seu percurso. Não há eclusas;
- a sua largura mínima é de 55 metros;
- comporta navios de até 500 metros de comprimento por
70 metros de largura
;
- o valor médio das taxas pagas por petroleiros é de
US$ 70 mil;
- entre 1996 e 1997, o Egito arrecadou, apenas com o
pedágio, US$ 1,8 bilhão.
 

Conseguem entender a importância desse canal para o Egito?

INDÚSTRIA EGÍPCIA

* A indústria egípcia é considerada a mais antiga do mundo (remonta a 7.000 anos). A primeira amostra de tecelagem foi produzida na época de Ramsés III;

PAPIROS

* Os papiros eram os papéis da antigüidade. Apesar de aparência frágil, duraram milhares de anos e sua conservação nos trouxe muito da vida existente naquela época. Os escribas desenhavam os hieróglifos (alfabeto egípcio), nos papiros e paredes;


 

INCENSO

* O incenso era muito valioso no Egito Antigo. Muitas árvores foram importadas do Oriente para serem plantadas naquele país;

MORADIAS EGÍPCIAS

* As moradias do Antigo Egito eram feitas com barro do Nilo, material resistente para a construção de casa. As moradias eram retangulares com um pequeno pátio e escadas, conduzindo a um telhado sustentado por vigas de palmeira. Os mais ricos tinham em suas casas paredes decoradas e banheiros com cerâmica;

IMHOTEP

* Imhotep, arquiteto, médico e principal Ministro do Faraó Zoser, da III Dinastia, é o artífice da construção em pedra mais antiga do mundo. Construiu a pirâmide de Saqqarah;


ALFABETO ÁRABE

* O alfabeto árabe se escreve e se lê de trás para frente; as revistas também são lidas de trás para frente.

ANK

* A Cruz da Vida (ou Ank), era símbolo da reencarnação. Representava, como o próprio nome diz, a vida;

 

MESQUITAS

* A Mesquita de Al-Azhar, fundada em 972, foi a primeira Universidade Islâmica do mundo e logo tornou-se o centro intelectual do islamismo. Somente na Cidade do Cairo existem mais de 500 mesquitas.


Site Khan el Khalili - Brasil