Qualidade de vida e a Dança do Ventre
Por Débora S
abongi

 

 

Todas nós sonhamos em alcançar um momento na vida onde poderemos, finalmente, nos dedicar àquilo que realmente queremos. Sonhamos com uma época em que estaremos 100% em dia com a saúde. Tudo fluirá de forma tranqüila, uma vida sem agitações ou stress. Mas quando será isso, se estamos sempre adiando as pequenas mudanças que iniciariam esse processo?

Não faltam livros sobre esse tema, mas é impressionante ainda estarmos estagnadas apesar de tanta informação.

O que pretendemos aqui não é convencê-la a mudar a sua vida, mas levá-la a uma reflexão sobre si mesma. O que anda fazendo atualmente? Está feliz em todos os setores da sua vida? O que lhe falta? O que você tem feito para mudar?

Existe um momento em nossas vidas em que paramos de nos conformar com o que não está certo e decidimos mudar. A rotina atual deixa de ter sentido, os velhos objetivos (alcançados ou não) já não nos motivam mais, parecemos cansadas, sem energia ou luz. Cuidamos da família, da casa e esquecemos o bem mais precioso....nossa própria vida. As doenças geralmente aparecem nesse estágio, motivadas por nossas emoções e pensamentos em desequilíbrio.

Por que então a dança seria um meio de alcançar essa “tal qualidade” ou mudança em minha vida?

Para algumas pessoas, cuidar do corpo e da mente está no topo da lista quando se trata de qualidade de vida. Querem se sentir mais leves, alongar ou mesmo dançar para espantar a melancolia do dia. Se este for o seu caso, descubra mais benefícios que você pode adquirir ao praticar esta arte no artigo de Benefícios da Dança do Ventre.

Mas qualidade de vida é bem mais que isso. Vai além de uma condição física perfeita, conseguida através de trabalhos isolados com o corpo. É preciso encontrar-se, descobrir-se, perceber que em sua volta existem outros mundos interagindo com o seu.

A dança do ventre nos possibilita ir ao fundo de nós mesmas e descobrir a mulher que somos. Madura, bela, atraente e feliz. Modelos de beleza nem sempre são felizes....acredite!

Durante uma aula de dança nossa sensibilidade se aflora diante dos acordes musicais. Músicas lentas e orquestradas nos elevam ao paraíso enquanto trabalhamos movimentos suaves com o corpo, braços e mãos. Aos poucos somos levadas para fora de nós mesmas; nossa mente se expande; nossa energia ultrapassa as paredes da sala de aula. Descobrimos o que é “sentir-se bem consigo mesma”.

O espelho passa a ser um aliado poderoso, através do qual podemos observar os efeitos produzidos pelo ato de dançar. Nossa auto-estima se eleva ao percebermos que estamos nos tornando mais belas, nos aceitando e amando a imagem que somos. Vamos descobrir que ser “bela” não vem de mudar o guarda-roupa ou o corpo, mas sim o olhar....o nosso olhar....a forma como nos olhamos diante do espelho.

 Qualidade de vida é andar em equilíbrio. Saber conviver com os outros. Por isso não se transforme em uma ilha.

A dança possibilita o contato com outras pessoas, a interação entre elas, o convívio sadio administrado pela facilitadora em classe. E claro, como toda boa amizade, vão surgir desafios e problemas que ao serem resolvidos servirão de experiências no futuro.

Com a dança podemos evitar o sedentarismo físico e mental. Diante das sequências coreográficas estimulamos o nosso cérebro, nos concentrando e memorizando os movimentos. Trabalhamos a auto-estima; melhoramos a imagem que temos de nós mesmas; aprendemos a lidar e a afastar os sentimentos negativos. O stress, o sono excessivo, a fadiga e outros desconfortos vão desaparecendo aos poucos no processo de aprendizado da dança. Por ser também uma atividade física, proporciona a flexibilidade e o aumento da força muscular; prepara-nos para um futuro fisicamente mais sadio.

Seja para se tornar uma profissional ou simplesmente por puro prazer, a dança do ventre entra em nossas vidas e muda o panorama em que nos encontramos. Passamos a cuidar do nosso corpo, adquirimos hábitos saudáveis e pensamentos mais positivos, construímos relacionamentos sadios, aprendemos a relaxar e a descontrair. Os sorrisos são estimulados mesmo durante as aulas. Ele liberta a alma!

Faça um balanço da sua vida. Respeite seus limites e observe se já não está na hora de fazer alguma mudança. A administração da sua saúde física e mental é de inteira responsabilidade sua. Priorize sua vida.

A dança pode lhe levar para muitos mundos e trazer inúmeros benefícios. Mas para isso você precisa estar disposta a ir um pouco mais longe....cada dia mais......

Se entregue e Dance!

Débora Sabongi - Set/2008

   Retornar ao site Khan el Khalili